Review – Dandara
Por Eduardo Henrique Em 6 fev, 2018 as 07:42 PM | Categorizado como ., Android, iOS, Mobile, Nintendo, Nintendo Switch, Notícia, PC, Playstation, Playstation 4, Reviews, Xbox, Xbox One | com 0 Comments

Produzido pelo estúdio brasileiro Long Hat House e publicado pela Raw Fury, o aguardado game no estilo metroidvania chega ao PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch, PC, iOS e Android.

De acordo com o estúdio desenvolvedor, as inspirações para o jogo vem da obra literária de George Orwell trazendo um univervo “Bizarro” de opressão, assim como é introduzido em Revolução do Bichos e 1984.

Dandara…

O game traz como protagonista, Dandara, uma mulher Afrodescendente que foi justamente inspirada em uma personagem real que lutou ao Lado de Zumbi dos Palmares. Dandara precisa lutar contra o vilão Supremo Eldar e seu exército, onde tentam oprimir todo o universo de SAL. Mas Dandara não estará sozinha, ela conta com a ajuda de algumas figuras já conhecidas pelo público.

Jogabilidade…

O jogo brasileiro nos brinda com a jogabilidade clássica dos metroidvanias que costumávamos jogar antigamente. Porém a jogabilidade de Dandara é um pouco diferente do que estamos acostumados. A personagem não anda(?). Bem, Ela pula, e pula pra caramba, com um direcional, o jogador indica onde quer ir e Dandara da um salto, podendo ficar de cabeça para baixo em superfícies planas ou se agarrar a plataformas móveis. No inicio foi um pouco difícil de se acostumar, por ser uma jogabilidade um pouco fora do comum, porém, depois de alguns minutos jogando, você pega o jeito.

Mapa e Habilidades…

Dandara nos lembra jogos como Super Metroid e Megaman, a protagonista tem com sua arma principal uma esfera de energia que se concentrada, dispara feixes de luz que se parecem com flechas, mas ao avançar no game, vamos ganhando novas habilidades e disparos mais fortes. Mas não é apenas isso, como um das principais habilidades de Dandara, o pulo também sofre alguns upgrades para acessar áreas que não estão disponíveis no inicio do game.

 

Ao eliminar os inimigos, Dandara coleta apelos de Sal, com isso, ela pode fazer upgrades em habilidades ou aumentar sua saúde. O Mapa de Dandara também traz referências a jogos como Castlevania com inúmeras salas e dispositivos que dependem de uma certa habilidade para ser acionados para liberar. O mapa não traz muita informação útil, apenas o básico, mostra onde nossa Heroína está e nome de onde estamos, mas não é possível saber o nome dos lugares por onde passamos, resumindo, o mapa do game é bem simples e colorido.

Dificuldade…

Dandara traz um nível de dificuldade acima da média, mas não vamos dizer que o game é difícil. Porém conta com poucos acampamentos, onde é o local que Dandara descansa, recupera suas energias, faz seus upgrades e o principal, salva o game. E algo que me lembrou bastante Darksouls é o fato de que se você morrer, o jogador perde todos os apelos de Sal que recolheu para fazer seus upgrades e retorna do acampamento, mas se chegar novamente ao ponto onde morreu, uma aura estará lá e você poderá recuperar tudo o que havia perdido.

Os Boss ou Chefões de fase vão ficando mais difíceis ao avançar no jogo. O Vilão Augusto me lembrou bastante o Sigma da série Megaman com uma mistura de Mr. Bison de Street Figther. Na minha opinião o que é bem legal e desafiador é jogabilidade, que se aperfeiçoada, é possível esquivar facilmente dos ataques dos chefes de fase podendo contra atacar diversas vezes e o eliminando mais facilmente, mas confesso que levei algumas boas surras.

Os gráficos e trilha sonora…

Dandara possui um trabalho de Pixel Art belíssimo, a movimentação da Heroína é bem fluida, a animação dos personagens é bem bonita, a profundidade dos cenário é incrível. E toda essa Pixel Art casa muito bem com a trilha sonora em 8-bit que de acordo com o estúdio, foi feita com um conjunto de aparelhos acústicos como violinos, piano e cordas no geral e depois sintetizados, construindo assim um trabalho impecável.

Resumindo…

Dandara é um game produzido por um estúdio Brasileiro e traz um qualidade incrível, seja na sua jogabilidade, na bela trilha sonora ou na incrível Pixel Art que o game apresenta. A Heroína é show a parte. A dificuldade do game pode incomodar os iniciantes no gênero. O mapa é funcional mas apresenta apenas o básico, sem funções adicionais. Os chefes de fase são bem feitos e apresentam um bom grau de desafio ao longo do game. Dandara é altamente recomendado não somente por ser um game brasileiro,mas sim por toda a qualidade que ele apresenta.

Nota: 8,5

Prós:
Pixel Art belíssima
Trilha sonora muito bem feita
jogabildade inivadora
Dificuldade bem desafiadora

Contras:
Poucos pontos de Save
Mapa pouco informativo.

Eduardo Henrique

Sobre - Eu sou o criador do Site Gamer Spoiler. Jogo video-games desde sempre, atualmente tenho um Nintendo 3DS e um Xbox One. Apaixonado por animes e Cachorros. Quem quiser me add na Live: EDU4RDO_H

Quer trocar uma ideia comente aqui